google8c22934385da91be.html

Observatório Direitos dos Pacientes

Respeito, Dignidade e Segurança

Cuidado ou tratamento do paciente?

Published / by / Leave a Comment

Bernard Lown, renomado cardiologista e professor de Harvard,  publicou, em 1996,  o livro a “Arte Perdida de Curar”, um apelo na direção do restabelecimento da relação de confiança entre médico e paciente e  da reflexão sobre o cuidado substituído pelo tratamento e a arte de ouvir  por procedimentos tecnológicos.

Bernard Lown, de 96 anos, ao se encontrar em um leito, internado por pneumonia, indagou: “Vocês realmente precisam checar meus sinais vitais a cada 4 horas?”.  Segundo o artigo de Rich Joseph, médico residente no Brigham and Women’s Hospital (EUA), e que estava cuidando de Lown, dados demonstram que metade dos pacientes é acordada desnecessariamente para ter os sinais vitais verificados, em detrimento de seu descanso. O médico residente respondeu que entendia a reclamação, mas Lown retrucou: “Faça alguma coisa para mudar isso.”

O hospital de hoje se tornou uma fábrica, distante dos fundamentos do cuidado, que implicam ouvir o paciente além dos sintomas, tocá-lo cuidadosamente durante o exame físico, usar palavras que afirmem a sua vitalidade, e estar atento nas tensões e situações relacionadas à vida do paciente.

Desta vez, Bernard Lown era o paciente em busca de cura e Rich Joseph era  o médico, produto de um sistema que se tornou ainda mais impessoal desde que Lown escreveu suas palavras pela primeira vez.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas